Por que vegan?

Há alguns anos atrás achei uma linda gatinha no lixo, ao lado da irmã já sem vida. Levei-a para casa e achei que ela precisava de uma companhia; assim, saí à procura de um gatinho sem lar.

Não encontrei, mas um guarda municipal da Praça da República-SP me deu uma revistinha informativa do Instituto Nina Rosa, "A coragem de fazer o bem", que continha informações sobre posse responsável de cães e gatos, realidade dos rodeios, testes em animais, veganismo, etc, que li na mesma tarde. E também na mesma tarde me tornei vegan, afinal tudo que li lá fez sentido para mim.

Na época eu não conhecia nenhum vegano nem tinha acesso à internet. Lembro que minha primeira refeição foi arroz, feijão carioquinha, salada de tomate e alface, hamburguer de legumes e suco de laranja. Pensei: "A brincadeira é só não usar derivados animais na cozinha? Vai ser fácil". E sempre foi, porque na verdade é fácil ser vegan*!

*obs: vegan lê-se vígan, ou aportuguesado: vegano.



No final, acabei adotando o Tinho (à esquerda), do Centro
de Controle de Zoonoses de São Paulo


O que é Veganismo?

Veganismo é um estilo de vida em respeito aos animais. Uma pessoa que decide ser vegana:

  • não come alimentos de origem animal, carnes de todas as cores e tipos, ou que contenham qualquer resíduo: leites, queijos, salsichas, ovos, mel, banha, manteiga, etc;
  • não veste roupas ou sapatos feitos de animais: couro, seda, lã, etc; 
  • evita o consumo de cosméticos e medicamentos testados em animais ou que contenham componentes animais na formulação: sabonetes feitos de glicerina animal, maquiagem contendo cera de abelha, etc;
  • profissionalmente não trabalha com exploração animal, seja vivo ou morto; 
  • leva sua vida normalmente, com a diferença de pensar antes nos animais em todas as escolhas, e faz isso unicamente em respeito a eles. 
     

É suficiente não comer apenas carne?

Se você quer respeitar os animais e decidiu não comer carne, mas tolerar resíduos como queijo e ovos, está sendo incoerente. O animal de indústria vai ser morto ali dentro de qualquer jeito, e morre exausto pela exploração de uma vida inteira.

Galinhas são abatidas porque existe o consumo de ovos. Em todas as granjas, o tratamento para com os animais é cruel: corte sem anestesia do bico das aves para que não se mordam devido ao estresse, trituramento de pintinhos machos ainda vivos, dentre outros métodos que só existem porque os animais são vistos como meros produtos. Nas granjas orgânicas, o fim das galinhas é o mesmo: depois de uma vida inteira de exploração, são enviadas para o matadouro, muitas estando ainda conscientes quando caem na água fervente.

A indústria do leite é responsável pelo sofrimento de bilhões de bebês bezerros todos os anos, retirados logo após do nascimento do contato da sua mãe. A vaca é constantemente violada com inseminações artificiais a fim de estar sempre grávida e seu leite vendido para consumo humano, enquanto seus filhotes são tratados como resíduos e abatidos com poucos dias de vida para se "transformarem" em baby beef.

Infelizmente, fatos como esses são realidade diária, documentados em vídeos como o brasileiro A Carne é Fraca, do Instituto Nina Rosa, que você pode assistir no Youtube.

Nada disso é necessário. Você não precisa comer um pedaço de animal morto para obter proteínas, aumentar seu nível de colesterol a cada ovo consumido ou beber leite impróprio para o organismo humano. Nessa história toda, os únicos que saem ganhando são os ricos empresários da indústria da carne, ovos e leite!

Depende de cada um a mudança no mundo! Quando não houver mais procura, não haverá mais oferta.


Vídeo: Veganismo, um estilo de vida
  

video


13 comentários:

  1. É sempre maravilhoso encontrar mais um vegano! Me tornei vegano em maio desse ano depois de quatro anos vegetarianos, me sinto melhor do que em qualquer outra época da minha vida. Amei suas receitas e os cosméticos, lindo blog! =)

    ResponderExcluir
  2. Protetora de animais, vegetariana há algumas décadas e vegana há dois anos, feliz e consciente de que mais importante do que a carne dos animais é o que eles podem nos ensinar através do coração. Que Deus abençõe sua tarefa.

    ResponderExcluir
  3. Laura, tenho uma dúvida... como você alimenta seus gatinhos? Com ração mesmo ou aplica à eles uma alimentação vegan também?

    ResponderExcluir
  4. Laísa, a definição de Veganismo, segundo a instituição que a criou: "Veganismo é um estilo de vida que busca excluir, na medida do possível e praticável, todas as formas de exploração contra os animais na alimentação, vestuário e qualquer outra finalidade." (Vegan Society, 1944)

    Viu que é tranquilo, né? "Na medida do possível e praticável". No Brasil, ainda não há ração vegan pra gatos. No exterior também é difícil de encontrar e muito mais cara que a ração comum (tipo 3 ou 4x mais).

    Então temos de continuar fazendo o nosso melhor, nosso possível dentro de nossa realidade.

    Em tempo: rações para pets são feitas com subprodutos da indústria da carne, então quanto menos carne for consumida, menos subprodutos existirão. E gradualmente a indústria criará alternativas à alimentação de animais domésticos.

    ResponderExcluir
  5. Para cachorros é mais fácil, mas para gatos não... principalmente minha gatinha que não come nada além da ração!
    Muito obrigada, Laura. :)

    ResponderExcluir
  6. Muito legal seu blog e sua iniciativa... tamo junto !

    ResponderExcluir
  7. Assim como as embalagens de cigarro devem, por lei, expor imagens das consequências causadas pelo tabagismo, penso que todos os comerciais de carne, sejam propagandas de açougue, mercado, marcas de carne, deveriam mostrar imagens de animais sofrendo. Só assim poderíamos ter um mínimo de esperança para começarmos uma conscientização coletiva quanto ao bem-estar animal.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adorei a sua observação, sem dúvida, que essa sua idéia poderá ser a única maneira de fazer as pessoas ver o que não se importam. Todos os que comem carne dizem que gostam de animais, é uma forma leviana de falar, porque na realidade não gostam. Se gostassem importavam-se. Talvez vendo e assistindo ao sofrimento e tortura algo mudasse em suas cabeças.

      Excluir
  8. Meus pensamentos e minha vida se tornaram sutis, não sinto mais dores, ansiedades, prisão de ventre, minha colite, hemorroida e segreções desaoareceram, perdi peso, minha pressão 12 por 8, meus pensamentos parace que desintoxicaram...Minhas atitudes sao mais sublimes, nao tenuo mais stress. E uma sensação muito boa! Descobri pelos cientistas juma palesta que nosso organismo foi somente extruturado pela Criacão para consumirmos apenas grãis, ervas e frutas...agua e que necessitamos apemas de aminoácidos e nunca proteínas como a industria de sangue nos manipulam a usar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gostei do texto. Muita gente ainda vai dizer: "ah, mas os nossos antepassados, desde o homem das cavernas que caçam". É verdade, o homem sempre caçou, tal como sempre fez outras coisas muito erradas. Já que o homem sempre fez mal, então pelo menos que evolua e deixe de derramar sangue!

      Excluir
  9. Desculpe erros ortográficos mas me importei apenas com o que queria expressar o benefício moral e ético em ser VEGANO

    ResponderExcluir
  10. Olá....
    Acabei de conhecer o Blog procurando uma receita de bolo de fubá, meu marido e eu nos tornamos Veganos pouco mais de um mês e ja sentimos muitas diferenças no corpo e mente.
    Obrigada por compartilhar seu conhecimento. #GoVegan

    ResponderExcluir